DEFUNTA REPÚBLICA DE MENTIRA

"(...) É, todavia, difícil compreender por que, até o fim do reinado de Pedro II, o Brasil era um país mais promissor que os EUA, mais importante que a China, a Índia, o Japão, a Coréia e quase todos os países europeus - de onde vieram muitos imigrantes - e hoje ocorre o oposto: (...)" - (Dr. José Carlos de Almeida Azevedo)

Defender a manutenção da imundície da Ilegítima Ditadura Republicana Genocida Brasileira, que seguiu matando pelo futuro milhões com suas inconsequências, negligências, omissões... É de uma falta de conhecimento extrema, de uma burrice crônica absoluta, ou de uma voracidade predatória sem precedentes... Apenas caindo Dilma com o seu "Perda Total", mesmo que seja junto com suas coligações (Partidos dos Partidos...) das Organizações Criminosas das Facções Narco-Psicopatas-Partidárias-Copartícipes dos Regimes Síndico-Comuna-Socialistas-Golpistas, da Máquina de Prostituição Parlamentar do Poder Central Republicano, Alinhada a Política Transnacional Continental Latina Americana do Foro de São Paulo... Quase nada mudará nessa decadente República de mentira nunca proclamada de fato - a sujeira mais uma vez apenas mudará de mãos.

O Brasil é escravizado por uma caricatura republicana presidencialista moralmente ilegítima abortada defunta como regime totalitário, cujas suas predadoras consequências se estenderam pelo futuro numa sucessão de ditaduras civis e militares... Nódoa negra do hoje paradoxalmente dito Exército do monarquista Caxias do Exército Imperial Brasileiro. Aliciados por meia dúzia de traidores da pátria discípulos da Seita Positivista, alguns militares do Exército Imperial foram utilizados como ferramenta executora do trabalho sujo que mergulhou o país nas trevas, com a desastrosa inauguração da primeira ditadura militar da História do Brasil em 15 de novembro de 1889, acabando com a democracia da Monarquia Constitucional Parlamentar Representativa do promissor respeitável Império do Brasil, que ombreava com as outras três nações mais poderosas, cuja sua Armada Imperial somada a Marinha Mercante, foi a 2ª Potência Naval da terra. Num determinado momento da nossa história, já fomos mais poderosos do que os Estados Unidos da América do Norte.

No desastre do Flagelo Republicano, entre mandos e desmandos nesses 126 anos de estagnação, se somam: "12 Estados de Sítios, 17 Atos Institucionais, 6 Dissoluções do Congresso, 19 Revoluções ou Intervenções Militares, 2 Renuncias Presidenciais, 3 Presidentes Impedidos, 4 Presidentes Depostos, 6 Constituições Diferentes, 4 Ditaduras e 9 Governos Autoritários"... Mais os últimos 30 anos de retrocessos perdidos num oceano de esgoto sem precedentes na História do Brasil, com a 6ª tentativa ressuscitadora do pesadelo da tragédia dessa fracassada Nova República Salvadora da Pátria perdida em si mesma, que além de produzir desde 1985 mais de 3.000.000* de assassinatos (*Incluindo as mortes provocadas pelos desserviços e/ou omissões dos sucessivos desgovernos), nos conduziu mais uma vez a um terrível vazio. E, tudo indica que a burrice ou obscuras ambições dos dementes políticos predadores devoradores da pátria, indiferentes ao que já funcionou a contento na história dessa nação fundada em 1822 como Império, continuarão como insaciáveis varejeiras investindo no engodo de novas inúteis defuntas repúblicas, que têm sido sinônimos de Desgraça Nacional. (Emanuel Nunes Silva)

quarta-feira, 12 de dezembro de 2012

Brasil. O único país do Novo Mundo, que após seu Período Colonial teve um Sistema de Governo Monárquico

Chegada da Família Real Portuguesa ao Rio de Janeiro em 7 de Março de 1808. 
Óleo sobre tela, 1999, 609 X 914 milímetros
Quadro de Geoffrey Hunt
Clique na imagem para ampliá-la
Descrição:

O quadro representa, no centro, a nau Príncipe Real, onde tinham viajado a rainha D. Maria I, o príncipe regente e os seus dois filhos, os infantes D. Pedro e D. Miguel, e o infante espanhol D. Pedro Carlos de Bourbon, no momento em que acaba de fundear, usando a sua caranguejola, vendo-se o estandarte real a flutuar no mastro principal. Os pequenos botes ao redor da nau transportam personagens que não quiseram deixar de cumprimentar imediatamente a família real, já que o desembarque só se realizou no dia seguinte. Do lado esquerdo está a nau britânica Marlborough, que se encontrava na baía, a disparar uma salva, com a guarnição colocada nas vergas. Do lado direito pode ver-se a nau Afonso de Albuquerque, que tinha transportado a princesa Carlota Joaquina e quatro das suas seis filhas, a começar a ferrar as velas preparando-se para entrar no vento e fundear. Atrás está a Medusa, que tinha transportado o ainda secretário de estado dos Negócios Estrangeiros e da Guerra, António de Araújo de Azevedo, futuro conde da Barca, e a fragata Urânia, que escoltou o príncipe regente durante toda a viagem. Ao lado destas, a nau britânica Bedford, que tinha acompanhado a frota portuguesa desde as Canárias. Mais à direita, na linha de costa o fumo branco representa a salva do forte de Villegaignon, que já não existe, vendo-se também - da esquerda para a direita - a costa de Niterói, a entrada da baía do Rio de Janeiro e o Pão de Açúcar.

Partida de D. João VI 
Brasil. O único país do Novo Mundo, que após seu Período Colonial teve um Sistema de Governo Monárquico. 
• O Brasil foi o único país das Américas que fez sua independência não se tornando uma República. - Mas e o Canadá?... O Canadá, um dos países mais desenvolvidos do mundo, é uma monarquia parlamentar constitucional, que tem como Chefe de Estado na atualidade a Rainha Elizabeth II (Isabel II). "Ao contrário de seus vizinhos (inclusive dos Estados Unidos da América do Norte, e do Canadá), o Brasil tornou-se independente e soberano sob um Imperador. D. Pedro I e seu filho D. Pedro II cumpriram um enorme trabalho histórico de criação e afirmação de um país gigantesco, entregando-o unido, indiviso, falando um mesmo idioma, sem enclaves estrangeiros, com suas fronteiras praticamente definidas, livre da escravidão e aceitando uma transição para a república democrática feita sem derramamento de sangue*. Como imperadores, personificavam um poder do Estado – o Poder Moderador – que dirimia dúvidas e dava a última palavra nos mais graves assuntos nacionais. Seus atos políticos não eram sujeitos a julgamento, pois eram inimputáveis." *A princípio sim... Entretanto, principalmente após a morte de D. Pedro II em 5 de dezembro de 1891, a República massacrou impiedosamente nos seus 10 primeiros anos de consolidação em torno de 200.000 opositores ao novo regime, numa época em que a população brasileira era 11 vezes menor que a atual.

II • O Brasil como Império, se transformou numa das nações mais respeitadas do planeta (se preferir... País de primeiro mundo). O Golpe de Estado de 15 de novembro de 1889, articulado na sua essência por meia dúzia de conspiradores, todos maçons discípulos da Seita Atéia Positivista (Religião da Humanidade), abortada pelo francês August Comte, junto com sua musa inspiradora Clotilde de Vaux (considerada a mãe espiritual da Igreja Positivista do Brasil e da Religião da Humanidade), que nada tem a ver com as crenças Judaicas-Cristãs. Portanto essa imposição arbitrária não jamais representou a vontade da maioria esmagadora dos brasileiros - veio para transformar o Império do Brasil, numa República de 3ª categoria. Antes de eternamente ficar reclamando das mazelas da tua Cidade, do teu Município, Estado e País, inteligentemente passe a refletir sobre o que éramos, e em quê esta tua decadente República, junto com sua bandeira Positivista que te induziram desde tenra idade a amar nos transformou, fazendo com que deixássemos de ser... Trocaram o mais promissor país da época, o Império do Brasil, em um tal País do Futuro, que cada vez mais tem nos mostrado incerto. O Brasil alcançou seu Futuro no 2º Reinado do Império, isso é fato Histórico. O Golpe de 1889 usurpou o futuro dos brasileiros.


III • Se lamentar do porquê é extorquido a pagar as mais altas tributações do planeta, sem haver o justo retorno proporcional, que deveria influenciar positivamente efetivamente na qualidade de vida dos brasileiros, no que concerne essencialmente à Saúde, Educação, Segurança, Habitação, Saneamento, Transporte... Felicidade. É o mesmo que questionar a ilusão deste Sistema de Governo Republicano que se instalou sem legitimidade, ilegalmente à força. A Monarquia Constitucional Parlamentarista Representativa do Império do Brasil, na época, foi mais moderna e democrática do que o Sistema Político Republicano dos Estados Unidos da América do Norte. O Império do Brasil foi a 4ª Economia dentre as nações mais desenvolvidas. A Armada Nacional (Armada Imperial) juntamente com a Marinha Mercante, foi a 2ª Potência Naval da Terra. Já fomos até 1889 um dos países mais respeitados no cenário mundial, que ladeava com os Estados Unidos, Inglaterra, França e Alemanha. Um Brasil Imperial da atualidade será o resgate do respeito às nossas raízes Históricas, dos nossos valores morais e de nossas tradições... Adaptado a uma Monarquia Parlamentarista Constitucional moderna do Século XXI, que restaurará nossa Legítima Identidade Nacional, reorganizando e saneando esta baderna do Crime Organizado dessa Inútil Politicagem Predadora Republicana Brasileira, transformando nossa nação em um Império Grande e Respeitado... Pátria verdadeiramente democrática e amada, onde voltaremos a sentirmos orgulho de sermos brasileiros. 

IV • Nas Monarquias Parlamentaristas, que abrigam os Governos mais Democráticos do planeta, onde cargo político é missão, são países altamente desenvolvidos, ao contrário da deformada democracia do País do Faz de Conta, considerada pelos órgãos internacionais especializados de Imperfeita. Além da comprovação da eficiência da nossa outrora Monarquia, sai mais barato sustentar uma Família Real (no caso do Brasil Família Imperial), do que um Presidente Operário ou uma "Rainha de Mentira", mais cara que a Rainha da Inglaterra. Nesta fracassada experiência republicana brasileira, depois das eleições presidenciais, ninguém mais fala em governar, Plano de Governo, o quê tem sido feito dele, se foi bem feito ou o quê deixaram de fazer, pois neste sistema perverso ineficiente, a vitória de um determinado candidato oferecido por um partido, sempre estará acima dos interesses e/ou bem estar do povo. 


Um Brasil Imperial da atualidade será o resgate do respeito às nossas raízes Históricas, dos nossos valores morais e de nossas tradições... Adaptado a uma Monarquia Parlamentarista Constitucional moderna do Século XXI, que restaurará nossa Legítima Identidade Nacional, reorganizando e saneando esta baderna do Crime Organizado dessa Inútil Politicagem Predadora Republicana Brasileira, transformando nossa nação em um Império Grande e Respeitado... Pátria verdadeiramente democrática e amada, onde voltaremos a sentirmos orgulho de sermos brasileiros. 
Emanuel Nunes Silva 
12 de dezembro de 2012 
URL
- VI -
Algumas Matérias deste Blog

01 • A MUDANÇA