DEFUNTA REPÚBLICA DE MENTIRA

"(...) É, todavia, difícil compreender por que, até o fim do reinado de Pedro II, o Brasil era um país mais promissor que os EUA, mais importante que a China, a Índia, o Japão, a Coréia e quase todos os países europeus - de onde vieram muitos imigrantes - e hoje ocorre o oposto: (...)" - (Dr. José Carlos de Almeida Azevedo)

Defender a manutenção da imundície da Ilegítima Ditadura Republicana Genocida Brasileira, que seguiu matando pelo futuro milhões com suas inconsequências, negligências, omissões... É de uma falta de conhecimento extrema, de uma burrice crônica absoluta, ou de uma voracidade predatória sem precedentes... Apenas caindo Dilma com o seu "Perda Total", mesmo que seja junto com suas coligações (Partidos dos Partidos...) das Organizações Criminosas das Facções Narco-Psicopatas-Partidárias-Copartícipes dos Regimes Síndico-Comuna-Socialistas-Golpistas, da Máquina de Prostituição Parlamentar do Poder Central Republicano, Alinhada a Política Transnacional Continental Latina Americana do Foro de São Paulo... Quase nada mudará nessa decadente República de mentira nunca proclamada de fato - a sujeira mais uma vez apenas mudará de mãos.

O Brasil é escravizado por uma caricatura republicana presidencialista moralmente ilegítima abortada defunta como regime totalitário, cujas suas predadoras consequências se estenderam pelo futuro numa sucessão de ditaduras civis e militares... Nódoa negra do hoje paradoxalmente dito Exército do monarquista Caxias do Exército Imperial Brasileiro. Aliciados por meia dúzia de traidores da pátria discípulos da Seita Positivista, alguns militares do Exército Imperial foram utilizados como ferramenta executora do trabalho sujo que mergulhou o país nas trevas, com a desastrosa inauguração da primeira ditadura militar da História do Brasil em 15 de novembro de 1889, acabando com a democracia da Monarquia Constitucional Parlamentar Representativa do promissor respeitável Império do Brasil, que ombreava com as outras três nações mais poderosas, cuja sua Armada Imperial somada a Marinha Mercante, foi a 2ª Potência Naval da terra. Num determinado momento da nossa história, já fomos mais poderosos do que os Estados Unidos da América do Norte.

No desastre do Flagelo Republicano, entre mandos e desmandos nesses 126 anos de estagnação, se somam: "12 Estados de Sítios, 17 Atos Institucionais, 6 Dissoluções do Congresso, 19 Revoluções ou Intervenções Militares, 2 Renuncias Presidenciais, 3 Presidentes Impedidos, 4 Presidentes Depostos, 6 Constituições Diferentes, 4 Ditaduras e 9 Governos Autoritários"... Mais os últimos 30 anos de retrocessos perdidos num oceano de esgoto sem precedentes na História do Brasil, com a 6ª tentativa ressuscitadora do pesadelo da tragédia dessa fracassada Nova República Salvadora da Pátria perdida em si mesma, que além de produzir desde 1985 mais de 3.000.000* de assassinatos (*Incluindo as mortes provocadas pelos desserviços e/ou omissões dos sucessivos desgovernos), nos conduziu mais uma vez a um terrível vazio. E, tudo indica que a burrice ou obscuras ambições dos dementes políticos predadores devoradores da pátria, indiferentes ao que já funcionou a contento na história dessa nação fundada em 1822 como Império, continuarão como insaciáveis varejeiras investindo no engodo de novas inúteis defuntas repúblicas, que têm sido sinônimos de Desgraça Nacional. (Emanuel Nunes Silva)

domingo, 9 de janeiro de 2011

A Magia das Montanhas

A Magia das Montanhas
"As Montanhas são uma espécie de Reino Mágico, 
onde por meio de algum encantamento,
eu me sinto a pessoa mais feliz do mundo"
Bernardo Collares Arantes 
(1965 - 2011) 
URL da Imagem 
■ Cerro Fitz Roy - Patagonia - Argentina
Crédito da Imagem: Mike Reyfman 
A maioria que não está familiarizada com o mundo do Montanhismo, apenas entende superficialmente sobre a motivação de alguns escalarem as montanhas. Este tema ao longo das décadas tem levado os Analistas, Terapeutas, Psicólogos, Psicanalistas... Ou sei lá o quê!... A trilharem os meandros das elucubrações. Entretanto caso não sejam Montanhistas... Nunca os levam a lugar algum. Quando o Montanhismo é praticado na sua plenitude... Sem dúvida alguma faz da maioria dos outros esportes simples brincadeira de criança.

Toda montanha exerce diferentemente entre as pessoas seu grau de fascínio, sedução, desafio, medo, dor, adrenalina, superação... Perda. Essencialmente entre os montanhistas, e quando perguntado a eles onde gostariam de morrer, se lhes fossem dado o direito de escolha... Quase que unanimemente respondem que na montanha, e que preferivelmente ela seja o seu Mausoléu. Com sua aparência Fantástica e Mágico Entorno, o Cerro Fitz Roy é uma das mais Belas, Sedutoras, e Técnicas Montanhas da Terra.

 Uma perda irreparável.
Que o grande amigo Bernardo Collares, respeitado Montanhista brasileiro, descanse em paz em sua magnífica montanha.

Emanuel Nunes Silva
Bernardo Collares Arantes com alguns amigos em 1996 
Bernardo Collares Arantes (de chapéu) com alguns amigos em 1996.
Época em que começou a sua ascensão no Montanhismo.
Atrás dele Ricardo Menescal.
Crédito: Emanuel Nunes Silva - Via mini tripé.
URL
Época em que começou a sua ascensão no Montanhismo.
Crédito: Emanuel Nunes Silva - Via mini tripé.
URL
Bernardo Collares Arantes com alguns amigos em 1996.
Época em que começou a sua ascensão no Montanhismo.
Crédito: Emanuel Nunes Silva - Via mini tripé.
Cerro Fitzroy ou Cerro Chaltén
Comunicado da Femerj sobre o acidente de Bernardo Collares e Kika Bradford no Fitz Roy

Desde ontem, dia 5 de janeiro, a imprensa brasileira e argentina vêm noticiando o acidente sofrido com o presidente da Federação de Montanhismo do Rio de Janeiro (Femerj), nosso querido amigo Bernardo Collares, enquanto escalava o Fitz Roy, uma das montanhas mais desafiadoras do planeta, localizada no Sul da Patagônia, uma região com um dos climas mais severos e inconstantes que pode haver. Um assunto como este, evidentemente, desperta um grande interesse no público em geral, motivo pelo qual a grande mídia vem dando tanto destaque ao ocorrido. Entretanto, por o montanhismo e a escalada em rocha envolverem muitas questões técnicas, é natural que alguns equívocos ocorram, por parte do grande público, na compreensão do que realmente aconteceu. Para tentar colaborar para um melhor entendimento, é importante ressaltar algumas questões.

Bernardo Collares e Kika Bradford formavam uma das duplas mais fortes do montanhismo em atividade no Brasil, tanto pela larga experiência individual, quanto pelo entrosamento conseguido em dezenas de escaladas juntos no Brasil e no exterior. Entre a comunidade de montanha não há a menor dúvida que as decisões tomadas por qualquer um dos dois seriam sempre as mais apropriadas em qualquer situação de acidente. Ambos, como guias federados de montanha, com todos os cursos possíveis no assunto e mais de década de experiência, seriam as pessoas que qualquer montanhista ficaria aliviado em dividir uma cordada em situação de risco. Ambos já demonstraram em muitas oportunidades serem pessoas competentes, capacitadas, solidárias, generosas e queridas. São, ainda, pessoas treinadas para agirem com o máximo de racionalidade em situações de estresse e perigo, pois isso pode, literalmente, fazer a diferença entre a vida e a morte.
URL 
Bernardo Collares Arantes e Kika Bradford
Quando o acidente com os nossos amigos chegou ao conhecimento da comunidade de montanha, causou uma grande comoção, tanto por conta do que ocorreu com Bernardo, como pelo que ocorreu com Kika, que teve que tomar uma das decisões mais difíceis que um ser humano poderia enfrentar. A seu lado, seu grande amigo ferido, sangrando e sem conseguir se mexer. Abaixo, 50 rapéis até a base da montanha e dois dias de caminhada até o encontro com os companheiros que ficaram em El Chalten. Se em condições normais esse retorno já se mostraria muito exigente e viável somente a poucos suficientemente preparados como ela, fazê-lo carregando alguém maior e mais pesado que ela seria algo completamente fora de cogitação no paredão vertical de quase dois mil metros de pedras soltas e ventos que levantam as pessoas do chão.

Todos que conhecem minimamente os fundamentos do montanhismo e a região não possuem a menor dúvida a esse respeito. Felizmente a Kika, forte e determinada como ela só, conseguiu retornar para informar do ocorrido, depois de viver momentos dramáticos no longo trajeto. Ela agora se recupera das feridas físicas e, principalmente, emocionais, contando com o apoio e solidariedade de todos.
■ Femerj
"O Cerro Fitzroy ou Cerro Chaltén é uma montanha localizada na fronteira entre a província de Santa Cruz, no extremo sul da Argentina, e o Chile. O seu nome é uma homenagem a Robert FitzRoy, capitão do HMS Beagle, navio que levou Charles Darwin em sua viagem ao redor do mundo. Na região também é conhecido por El Chaltén, nome idêntico ao de um povoamento local. Apesar de sua altitude relativamente modesta de 3.375 metros, o Fitzroy é considerado por muitos alpinistas profissionais como o maior de todos os desafios do seu esporte, porque suas paredes verticais requerem técnica impecável para serem conquistadas. Ademais, o clima da região é excepcionalmente ruim e traiçoeiro — fato que já custou a muitos suas vidas. Além de alpinistas, fotógrafos e outros são atraídos às imediações do Fitzroy pela sua aparência fantástica."
Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre

EMANUEL NUNES SILVA – FACE BOOK:
Algumas Matérias deste Blog

01 • A MUDANÇA