DEFUNTA REPÚBLICA DE MENTIRA

"(...) É, todavia, difícil compreender por que, até o fim do reinado de Pedro II, o Brasil era um país mais promissor que os EUA, mais importante que a China, a Índia, o Japão, a Coréia e quase todos os países europeus - de onde vieram muitos imigrantes - e hoje ocorre o oposto: (...)" - (Dr. José Carlos de Almeida Azevedo)

Defender a manutenção da imundície da Ilegítima Ditadura Republicana Genocida Brasileira, que seguiu matando pelo futuro milhões com suas inconsequências, negligências, omissões... É de uma falta de conhecimento extrema, de uma burrice crônica absoluta, ou de uma voracidade predatória sem precedentes... Apenas caindo Dilma com o seu "Perda Total", mesmo que seja junto com suas coligações (Partidos dos Partidos...) das Organizações Criminosas das Facções Narco-Psicopatas-Partidárias-Copartícipes dos Regimes Síndico-Comuna-Socialistas-Golpistas, da Máquina de Prostituição Parlamentar do Poder Central Republicano, Alinhada a Política Transnacional Continental Latina Americana do Foro de São Paulo... Quase nada mudará nessa decadente República de mentira nunca proclamada de fato - a sujeira mais uma vez apenas mudará de mãos.

O Brasil é escravizado por uma caricatura republicana presidencialista moralmente ilegítima abortada defunta como regime totalitário, cujas suas predadoras consequências se estenderam pelo futuro numa sucessão de ditaduras civis e militares... Nódoa negra do hoje paradoxalmente dito Exército do monarquista Caxias do Exército Imperial Brasileiro. Aliciados por meia dúzia de traidores da pátria discípulos da Seita Positivista, alguns militares do Exército Imperial foram utilizados como ferramenta executora do trabalho sujo que mergulhou o país nas trevas, com a desastrosa inauguração da primeira ditadura militar da História do Brasil em 15 de novembro de 1889, acabando com a democracia da Monarquia Constitucional Parlamentar Representativa do promissor respeitável Império do Brasil, que ombreava com as outras três nações mais poderosas, cuja sua Armada Imperial somada a Marinha Mercante, foi a 2ª Potência Naval da terra. Num determinado momento da nossa história, já fomos mais poderosos do que os Estados Unidos da América do Norte.

No desastre do Flagelo Republicano, entre mandos e desmandos nesses 126 anos de estagnação, se somam: "12 Estados de Sítios, 17 Atos Institucionais, 6 Dissoluções do Congresso, 19 Revoluções ou Intervenções Militares, 2 Renuncias Presidenciais, 3 Presidentes Impedidos, 4 Presidentes Depostos, 6 Constituições Diferentes, 4 Ditaduras e 9 Governos Autoritários"... Mais os últimos 30 anos de retrocessos perdidos num oceano de esgoto sem precedentes na História do Brasil, com a 6ª tentativa ressuscitadora do pesadelo da tragédia dessa fracassada Nova República Salvadora da Pátria perdida em si mesma, que além de produzir desde 1985 mais de 3.000.000* de assassinatos (*Incluindo as mortes provocadas pelos desserviços e/ou omissões dos sucessivos desgovernos), nos conduziu mais uma vez a um terrível vazio. E, tudo indica que a burrice ou obscuras ambições dos dementes políticos predadores devoradores da pátria, indiferentes ao que já funcionou a contento na história dessa nação fundada em 1822 como Império, continuarão como insaciáveis varejeiras investindo no engodo de novas inúteis defuntas repúblicas, que têm sido sinônimos de Desgraça Nacional. (Emanuel Nunes Silva)

quarta-feira, 29 de julho de 2015

Ludwig II König von Bayern (Ludwig II of Bavaria) - A MAGIA DE UM SONHO

A Concepção de uma Fantasia

A MAGIA DE UM SONHO

Ludwig II König von Bayern 

Ludwig II of Bavaria 

Luís II da Baviera 

URL

Luís II é conhecido como um excêntrico, com um imenso legado na História da Arte e na Arquitetura. Encomendou com sua fortuna pessoal a construção de vários castelos e palácios fantásticos que o levou a falência. Destas obras, a mais famosa é o Castelo de Neuschwanstein. O Rei Ludwig II foi um patrono devoto do Compositor Richard Wagner. Ludwig é geralmente bem quisto, e até venerado por bávaros hoje, muitos dos quais ironizam a sua suposta loucura ao fato de que o legado da Arquitetura e da Arte que deixou, gera uma renda turística que faz da Baviera o Estado mais rico da Alemanha. 
- Introdução -
O que seria do mundo sem as Monarquias?...


■ German Castles from Above - Our Best Of Montage (HD)
https://www.youtube.com/watch?v=5NI_vpm1SGA
Imagine um mundo sem Princesas, Príncipes, Rainhas, Reis, Imperatrizes, Imperadores, Czares, Czarinas, Califas, Sultões... Ducados, Reinos e Impérios. Seria um mundo sem magia, sem estas Jóias da Arquitetura e das Belas Artes ― Castelos, Palácios, Catedrais, Fortalezas e suas Histórias... Seria um mundo apenas de Presidentes, Ditadores e suas Feias Repúblicas sem graça. Sem a herança das Monarquias, os Sonhos e as Fantasias seriam bem mais limitados, a vida mais triste – engessando a imaginação em prejuízo da criatividade. Não haveria mais o compromisso com o Belo e o Bem Feito. O Mal Feito imperaria. Imagine um mundo sem Branca de Neve, A Gata Borralheira, Cinderela, A Bela Adormecida do Bosque, Alice no País das Maravilhas, As Mil e Uma Noites, Os Contos Russos... E centenas de outras histórias infantis que encantam também os adultos. Imagine um mundo apenas de Repúblicas repletas de Lulas, Dilmas, Aécios, Temers, FHCs...

■ Embaixador do Reino Unido fala sobre a popularidade da Família Real
http://globotv.globo.com/globonews/estudio-i/v/embaixador-do-reino-unido-fala-sobre-a-popularidade-da-familia-real/4154495/

Brasileiro adora as carismáticas iluminadas Soberanas & Altezas, chegam distraidamente a chamá-las de nossa e até minha, em referência as Princesas e Rainhas dos outros. As crianças e moças brasileiras amam se vestirem de Princesa ou Rainha, participando anualmente de milhares de concursos por estes mais de 5.600 municípios brasileiros para realizar este sonho ― Monarcas são seres que desde tenra idade são direcionados à nobre missão de dedicarem suas vidas a servirem seus povos, que nas simplicidades das grandezas das suas nobres atitudes encantam e surpreendem... Involuntariamente me arremessa aos idos do nosso outrora Glorioso Império, em busca do resgate da nossa identidade histórica Monárquica, que a República criminosamente há mais de um século tenta apagar da memória nacional – mesmo assim! hoje ainda permanece num estado letárgico latente pronta para ser despertada, para finalmente voltarmos sentir orgulho de sermos brasileiros.
 Castelo Hohenzollern - Alemanha
https://www.facebook.com/photo.php?fbid=577401182344054&set=a.338574942893347.80405.100002225326437&type=1&permPage=1
“A Monarquia é um sistema político que produziu, entre outros, a Civilização Egípcia, a Cultura Persa, a Grécia Antiga, o Império Romano (mantido por mais mil anos como Bizâncio), inspirado por Israel do Antigo Testamento; os Incas... Chinês, Turco, Japonês, fundada Rússia e França, fertilizando as Artes e as Letras, concebeu os mais belos monumentos em todas as latitudes e longitudes."
(Vladimir Volkoff)


■ Germany from Above - Spectacular Route from Lindau to Berchtesgaden (HD)
http://www.youtube.com/watch?v=Qctb90Udisk 

■ Vídeo 01 ■ 02 ■ 03 ■ 04 ■ 05 

Os países mais desenvolvidos e democráticos são Monarquias Constitucionais Parlamentares, tal qual o Império do Brasil foi quando éramos a 3ª economia da terra, cuja sua Armada Imperial (Marinha de Guerra) somada a marinha Mercante, representava a 2ª potência naval do planeta até o Golpe de Estado de 1889, quando foi inaugurada a primeira e mais sangrenta Ditadura Militar da História do Brasil, interrompendo o seu destino de grandeza, cujas suas predadoras consequências se estenderam pelo futuro numa sucessão de outras Ditaduras... 

Estas Monarquias estão sempre encabeçando as listas dos Índices de países mais democráticos e desenvolvidos, apesar da grande quantidade de Repúblicas (39 Monarquias Parlamentaristas + 5 outras Monarquias, contra 162 Repúblicas). Das 10 nações mais democráticas e de maior IDH do Mundo, 7 são Monarquias; incluindo as duas maiores democracias: Noruega e Dinamarca. Esta é a desproporção. Onde se conclui que na média as Monarquias Parlamentaristas são muito mais eficientes que as Repúblicas. Portanto não é um regime ultrapassado como muitos julgam. Lembro que o Reino Unido (Canadá, Austrália, Nova Zelândia...), Suécia, Dinamarca, Japão... Também são Monarquias Parlamentaristas.


 Burg Hohenzollern - Hohenzollern Castle
https://www.youtube.com/watch?v=sGsiDIKt_ws

Ludwig II König von Bayern e seu Fantástico Castelo de Contos de Fadas

URL
Ludwig II. Com a Idade de 20 anos. Pintura de: Ferdinand von Piloty -1865
■ Ludwig II. (Bayern)
https://de.wikipedia.org/wiki/Ludwig_II._(Bayern)

Ludwig II (Ludwig Otto Friedrich Wilhelm, considerado como Louis II em Inglês), (Munique, 25 de agosto de 1845 – Lago Starnberger, 13 de junho de 1886). Ele às vezes é chamado de Swan King (Inglês), der Märchenkönig (alemão), Rei Cisne e o Rei Conto de Fadas. Títulos adicionais foram Conde Palatino do Reno, Duque da Baviera, Franconia e da Suábia. Foi o Rei da Baviera de 1864 até ser deposto três dias antes de sua morte. Era o filho mais velho do Rei Maximiliano II e sua esposa Maria da Prússia.
Ele ascendeu ao trono aos dezoito anos de idade. Dois anos depois a Baviera foi subjugada pela Prússia e posteriormente absorvida dentro do Império Alemão. Luís permaneceu como rei, porém praticamente ignorou tais assuntos de estado e concentrou-se em projetos artísticos e arquitetônicos. Ele encomendou a construção de dois palácios luxuosos e o Castelo de Neuschwanstein, sendo um grande patrono do compositor Richard Wagner.
URL

Pelo fato de Luís II ter gasto todas as suas rendas reais pessoais nesses projetos, realizando grandes empréstimos e ignorando todas as tentativas de seus ministros para impedi-lo. Isso depois foi usado contra ele para declará-lo insano, uma acusação que desde então foi refutada.

URL 01  -  02 URL
https://www.facebook.com/photo.php?fbid=384602294957278&set=a.359874090763432.86824.100002225326437&type=1&theater 

Luís é geralmente bem considerado e até reverenciado na Baviera atualmente. Seu legado artístico e arquitetural inclui muitos dos principais pontos turísticos da região.


■ Die Königsschlösser von Ludwig II Teil 1 von 2
https://www.youtube.com/watch?v=zXCrCxvoHI4


■ Die Königsschlösser von Ludwig II Teil 2 von 2
https://www.youtube.com/watch?v=FEsh04EOndI

Na sua infância houve momentos de felicidade. Passava a maior parte do tempo no Castelo de Hohenschwangau, um castelo fantasista construído pelo pai perto do Schwansee (Lago dos Cisnes), perto de Füssen. A decoração apresentava motivos góticos com inúmeros frescos que retratavam as sagas germânicas. A família também viajava frequentemente para o Lago Starnberger. 

Na adolescência, Luís tornou-se grande amigo de seu ajudante de ordens, o príncipe Paulo, da abastada família Thurn und Taxis. Ambos cavalgavam juntos, liam poesia em voz alta e encenavam cenas das óperas românticas de Wagner. A amizade chegou ao fim quando Paulo ficou noivo, em 1866. Nessa época, Luís também iniciou uma amizade duradoura com uma prima distante, a duquesa Isabel da Baviera, apelidada de Sissi, que viria a tornar-se Imperatriz da Áustria e Rainha da Hungria através do seu casamento com Francisco José I.
Castelo de Neuschwanstein - Baviera, Alemanha
A Materialização de uma Fantasia
URL
Foi construído por Luís II da Baviera no século XIX, inspirado na obra de seu amigo e protegido, o grande compositor Richard Wagner. A arquitetura do castelo possui um estilo fantástico, o qual serviu de inspiração ao "Castelo da Cinderela", símbolo dos estúdios Disney. Apesar de não ser permitido fotografar o seu interior, é um dos edifícios mais fotografados da Alemanha e um dos mais populares destinos turísticos europeus, além de também ser considerado o "cartão postal" daquele país. O nome Neuschwanstein é uma referência ao "cavaleiro do Cisne", Lohengrin, da ópera com o mesmo nome. 
Concepção

A concepção do edifício foi esboçada por Luís II da Baviera numa carta a Richard Wagner, datada de 31 de Maio de 1868; "É minha intenção reconstruir a ruína do velho castelo em Hohenschwangau, próximo do Desfiladeiro de Pollat, no verdadeiro espírito dos velhos castelos dos cavaleiros alemães (...) a localização é a mais bela que alguém pode encontrar, sagrada e inacessível, um templo digno para o divino amigo que trouxe a salvação e a verdadeira benção ao mundo".

A primeira pedra do edifício foi colocada no dia 5 de Setembro de 1869. O Neuschwanstein foi desenhado por Christian Jank, um desenhista de cenários teatrais, em vez de um arquiteto, o que mostra muito das intenções de Luís II, e explica grande parte da natureza fantástica do edifício resultante. A perícia arquitetônica, vital para um edifício colocado num lugar tão periclitante, foi providenciada inicialmente pelo Arquiteto da Corte de Munique, Eduard Riedel, e mais tarde por Georg Dollman e Leo von Klenze. 
URL
Ludwig II
"Desejo continuar sendo um eterno enigma para mim e para os outros"
O castelo foi originalmente chamado de "Novo Castelo Hohenschwangau" até à morte do Rei, quando foi renomeado como Neuschwanstein, o Castelo do Cavaleiro Cisne, Lohengrin, da ópera de Wagner do mesmo nome. Originalmente, o castelo havia sido Schwanstein, a sede dos cavaleiros de Schwangau, cujo emblema era o cisne.

■ Castelo de Neuschwanstein - Alemanha [HD]
Luís II é conhecido como um excêntrico, com um imenso legado na História da Arte e na Arquitetura. Encomendou com sua fortuna pessoal a construção de vários castelos e palácios fantásticos que o levou a falência. Destas obras, a mais famosa é o Castelo de Neuschwanstein. O Rei Ludwig II foi um patrono devoto do Compositor Richard Wagner. Ludwig é geralmente bem quisto, e até venerado por bávaros hoje, muitos dos quais ironizam a sua suposta loucura ao fato de que o legado da Arquitetura e da Arte que deixou, gera uma renda turística que faz da Baviera o Estado mais rico da Alemanha. 
URL 01 - URL 02
Neuer Gala-Wagen Koenig Ludwigs II. im Marstallmuseum ©Bayerische Schlösserverwaltung
URL

Por vezes se referem a ele como o Rei Louco, embora a veracidade desta afirmação seja contestada. Na base da sua deposição houve alegações de que o Rei sofreria de uma doença mental, embora nunca tenha sido realizado qualquer exame médico. Como viria a morrer no dia seguinte em circunstâncias igualmente misteriosas, as questões em volta deste suposto diagnóstico continuam envolvidas em controvérsia. Uma das suas frases mais citadas foi: "Desejo continuar sendo um eterno enigma para mim e para os outros". Também devido à sua personalidade excêntrica, recebeu outras alcunhas depreciativas, como o Rei Cisnenota pelos Ingleses e Rei de Conto de Fadas pelos alemães.
Após a unificação da Baviera na Alemanha, Ludwig II tornou-se cada vez mais destacado dos assuntos políticos da Baviera e começou a gastar grandes somas da sua fortuna particular na construção de inúmeros Palácios e Castelos que lembram Contos de Fadas, sendo o mais famoso em estilo wagneriano o Castelo Neuschwanstein. Estas construções acabou por mergulhá-lo profundamente em dívidas. Essas dívidas causaram muita preocupação entre a elite política da Baviera, que procurou convencer Ludwig a interromper as construções dos Palácios. Ele se recusou, e as relações entre os Ministros do Governo e a coroa se deterioram. 
URL 01  -  02 URL
URL 03  -  04 URL  
URL 05  - 06 URL
Na construção do seu último sonho, a do Castelo de Neuschwanstein, em 1886, a crise veio à tona: embora o Rei Ludwig tenha usado a sua fortuna pessoal para financiar os projetos, em vez de fundos do Estado, os Ministros da Baviera organizaram uma comissão médica para declará-lo insano e, portanto, incapaz de executar seus poderes governamentais e o depuseram. Um dia após a deposição do Rei Ludwig II, ele morre misteriosamente depois de pedir ao Psiquiatra Chefe da comissão que o assistia, para irem juntos ao longo do Lago Starnberg (então chamado de Lago Würm), já que ele estava impedido de se deslocar sozinho. Ludwig e o Psiquiatra foram encontrados mortos, boiando no lago, cujo suas águas mal bate na altura da cintura. Uma autópsia listou causa da morte como suicídio por afogamento, mas algumas fontes afirmam que não foi encontrado água nos pulmões de Ludwig. Esses fatos levantaram muitas teorias de conspiração de assassinato político.
Curiosidades
(wikipedia) 

• O complexo do castelo estende-se por 6.000 metros quadrados articulados em quatro andares e numerosas torres, com uma altura que atinge os 80 metros.

• O castelo pode ser considerado como um monumento dedicado a Richard Wagner, o qual Luís II da Baviera admirava muito. De facto, muitas das suas salas são inspiradas em óperas do compositor alemão.

• Luís II da Baviera empenhou todo o seu patrimônio na construção do castelo, superintendendo os trabalhos; no entanto habitou durante muito pouco tempo nesta residência.

• Luís II observou o avanço dos trabalhos diretamente do castelo onde passou a infância, o vizinho Castelo de Hohenschwangau.

• A Sala do Trono não tem trono: isto porque Luís II morreu antes que o trono ficasse completo, e por isso não foi mais colocado no seu lugar.

• Uma das salas do castelo reproduz, de maneira muito realista, uma gruta com muitas estalactites e estalagmites, a qual possuiu uma cascata durante o reinado de Luís II.

• Luís II, receando os danos, ordenou ao curador do castelo que interditasse as visitas dos curiosos depois da sua morte. Poucas semanas depois da morte do soberano, o castelo abriu as suas portas aos visitantes. É atualmente um dos lugares mais visitados da Alemanha em qualquer estação do ano.

• Afirma-se que este é o edifício mais fotografado da Alemanha, e um dos destinos turísticos mais atrativos do país.

• Afirma-se ainda que este verdadeiro castelo de contos de fadas da Baviera terá inspirado o moderno castelo da Bela adormecida e da Cinderela na Disneylândia, símbolo da própria companhia Walt Disney.

• Este castelo serviu de modelo no anime Cavaleiros do Zodíaco (Saint Seiya) como o castelo do deus grego do submundo, Hades.

• Este castelo também serviu de fachada para a série Os Feiticeiros de Waverly Place, onde seria a famosa "feitiço tec".

• Este castelo também esta presente no Jogo MMORPG Ragnarok Online, onde os usuários disputam para serem seus donos. 

• Este castelo também foi utilizado como capa frontal para Castlevania: Symphony of the Night, versão americana de Akumajo Dracula X - Gekka no Yasoukyoku, da franquia de jogos Castlevania (Akumajö Dracula, no Japão) da Konami.


■ NEUSCHWANSTEIN CASTLE FPV
https://www.youtube.com/watch?v=k75_VVaetbI
- III -
Isabel da Baviera (Elisabeth - Sissi)
Elisabeth von Österreich-Ungarn (Sisi)

Imagine um mundo sem Princesas, Príncipes, Rainhas, Reis, Imperatrizes, Imperadores, Czares, Czarinas, Califas, Sultões... Ducados, Reinos e Impérios. Seria um mundo sem magia, sem estas Jóias da Arquitetura e das Belas Artes ― Castelos, Palácios, Catedrais, Fortalezas e suas Histórias... Seria um mundo apenas de Presidentes, Ditadores e suas Feias Repúblicas sem graça. Sem a herança das Monarquias, os Sonhos e as Fantasias seriam bem mais limitados, a vida mais triste – engessando a imaginação em prejuízo da criatividade. Não haveria mais o compromisso com o Belo e o Bem Feito. O Mal Feito imperaria. Imagine um mundo sem Branca de Neve, A Gata Borralheira, Cinderela, A Bela Adormecida do Bosque, Alice no País das Maravilhas, As Mil e Uma Noites, Os Contos Russos... E centenas de outras histórias infantis que encantam também os adultos. Imagine um mundo apenas de Repúblicas repletas de Lulas, Dilmas, Aécios, Temers, FHCs...
“A Monarquia é um sistema político que produziu, entre outros, a Civilização Egípcia, a Cultura Persa, a Grécia Antiga, o Império Romano (mantido por mais mil anos como Bizâncio), inspirado por Israel do Antigo Testamento; os Incas... Chinês, Turco, Japonês, fundada Rússia e França, fertilizando as Artes e as Letras, concebeu os mais belos monumentos em todas as latitudes e longitudes".
(Vladimir Volkoff)
― Introdução ―
"Portrait of Elisabeth depicting her long hair (by Franz Xaver Winterhalter, 1864), one of two so-called "intimate" portraits of the empress; although its existence was kept a secret from the general public, it was the emperor's favourite portrait of her and kept opposite his desk in his private study".
 Elisabeth Amalie Eugenie
Elisabeth Amalie Eugenie, Herzogin in Bayern (auch Sisi oder Lisi genannt, seit den Ernst-Marischka-Filmen auch als Sissi bekannt; * 24. Dezember 1837 in München, Königreich Bayern; † 10. September 1898 in Genf) war eine Prinzessin aus der herzoglichen Nebenlinie Zweibrücken-Birkenfeld-Gelnhausen des Hauses Wittelsbach, durch ihre Heirat mit Franz Joseph I. ab 1854 Kaiserin von Österreich und ab 1867 Apostolische Königin von Ungarn. 

Brasileiro adora as carismáticas iluminadas Soberanas & Altezas, chegam distraidamente a chamá-las de nossa e até minha, em referência as Princesas e Rainhas dos outros. As crianças e moças brasileiras amam se vestirem de Princesa ou Rainha, participando anualmente de milhares de concursos por estes mais de 5.600 municípios brasileiros para realizar este sonho ― Monarcas são seres que desde tenra idade são direcionados à nobre missão de dedicarem suas vidas a servirem seus povos, que nas simplicidades das grandezas das suas nobres atitudes encantam e surpreendem... Involuntariamente me arremessa aos idos do nosso outrora Glorioso Império, em busca do resgate da nossa identidade histórica Monárquica, que a República criminosamente há mais de um século tenta apagar da memória nacional – mesmo assim! hoje ainda permanece num estado letárgico latente pronta para ser despertada, para finalmente voltarmos sentir orgulho de sermos brasileiros.

Isabel da Áustria ● Elisabeth da Baviera ● Sissi Iperatriz da Áustria ● Sissi da Áustria e Hungria. 
[Transcrisção e retalhos da História de Sissi]
➤ Títulos: Rainha Apostólica da Hungria  Rainha da Boêmia ● da Dalmácia ● da Croácia ● da Eslovênia ● da Galícia e Lodoméria ● da Ilíria e de Jerusalém... 

Isabel da Baviera (em alemão Elisabeth von Bayern) (Munique, 24 de Dezembro de 1837 — Genebra, 10 de Setembro de 1898), depois Isabel da Áustria, foi a Imperatriz Consorte da Áustria e a Rainha Consorte da Hungria devido ao seu casamento com o Imperador Francisco José I. Era conhecida como Sissi da Áustria e Hungria. 

Sissi & Ludwin

URL
Ludwing

Na infância de Ludwing houve momentos de felicidade. Passava a maior parte do tempo no Castelo de Hohenschwangau, um castelo fantasista construído pelo pai perto do Schwansee (Lago dos Cisnes), perto de Füssen. A decoração apresentava motivos góticos com inúmeros afrescos que retratavam as sagas germânicas. A família também viajava frequentemente para o Lago Starnberger.

Na adolescência, Luís (Ludwing) tornou-se grande amigo de seu ajudante de ordens, o príncipe Paulo, da abastada família Thurn und Taxis. Ambos cavalgavam juntos, liam poesia em voz alta e encenavam cenas das óperas românticas de Wagner. A amizade chegou ao fim quando Paulo ficou noivo, em 1866. Nessa época, Luís também iniciou uma amizade duradoura com uma prima distante, a duquesa Isabel da Baviera, apelidada de Sissi, que viria a tornar-se Imperatriz da Áustria e Rainha da Hungria através do seu casamento com Francisco José I.
Origem
Elisabeth nasceu no Natal de 1837 em Munique, como a filha do Duque Maximiliano e Ludowika Maria, filha do rei da Baviera. Ela cresceu em Possenhofen Castelo longe da cerimônia da corte. Se desenvolveu (educou) como seus irmãos e irmãs em uma liberdade não convencional cercada de amor. Foi uma pessoa extremamente sensível. A lenda romântica de como Sissi e Francisco José se encontraram foi imortalizado maravilhosamente em romances e pelos filmes melodramático austríacos "Sissi", estrelados por Romy Schneider como a jovem Sissi. O musical "Elisabeth", que tem atraído turistas de todo o mundo a Viena por mais de cinco anos, é muito mais realista. No verão de 1853 no Ischl cênica Salzkammergut Cidade Bad ela conheceu o imperador Franz Joseph da Áustria, que na verdade deveria se casar com sua irmã Helene. 

https://www.youtube.com/watch?v=EhWhW20-A3c
No verão de 1853, no Ischl cênica Salzkammergut Cidade Bad ela conheceu o imperador Franz Joseph da Áustria, que na verdade deveria se casar com sua irmã Helene. No entanto, o Imperador desafiou os planos de casamento de sua mãe e se apaixonou pela irmã de Helen, Elisabeth, então com apenas 15 anos de idade, que havia acompanhado acidentalmente o seu partido. Um dia após seu primeiro encontro, Francisco José e Elisabeth comemoraram o noivado. (...) O compromisso de Sissi foi uma sensação. Todos queriam saber quem era ela. Ela rapidamente se tornou uma estrela em ascensão. Os Paparazzi do dia, os pintores da corte e os gravadores foram rapidamente produzir imagens desta bela jovem duquesa "Sissi". Eles se casaram em 24 de abril de 1854 na Igreja Santo Agostinho Viena. As festividades duraram mais de uma semana. 
• 
A Imperatriz, carinhosamente conhecida por milhões como "Sissi", era tão inteligente quanto extravagante, e estava décadas à frente de seu tempo. Embora as imediações dos Palácios Imperiais Schonbrunn e o brilhante Viena Hofburg serem a sua casa, a consorte do imperador austríaco estabeleceu um relacionamento especial com todas as classes de seus súditos. Não admira então que, após a trágica morte da princesa Diana, ela ter sido muitas vezes comparada nos obituários a Sissi: Ambas eram mulheres de extraordinária beleza e representou seu país com dignidade e elegância. Ambas conseguiram conquistar um lugar especial no coração das pessoas, mesmo no meio da cerimônia e protocolo de dinastias antigas. Ambas foram dedicadas às causas sociais... E ambas morreram tragicamente antes do tempo. 
URL
Casamento

Em Agosto de 1853, a tia materna de Sissi, a arquiduquesa Sofia, viúva do segundo filho do imperador Francisco I da Áustria, convidou a irmã, Ludovica, a visitá-la em companhia da sua filha Helena, a irmã mais velha de Sissi. O objetivo da arquiduquesa com esse encontro, ocorrido numa estância de Verão em Ichl, era casar o filho, o imperador Francisco José I, com a prima de dezessete anos. Contudo, Isabel, de quinze anos, foi também ao encontro e acabou conquistando o Imperador. Até hoje, acredita-se que foi amor à primeira vista.
O Imperador desafiou os planos de casamento de sua mãe e se apaixonou pela irmã de Helen, Elisabeth, então com apenas 15 anos de idade, que havia acompanhado acidentalmente o seu partido. Um dia após seu primeiro encontro, Francisco José e Elisabeth comemoraram o noivado. O compromisso de Sissi foi uma sensação. Todos queriam saber quem era ela. Ela rapidamente se tornou uma estrela em ascensão. Os Paparazzi do dia, os pintores da corte e os gravadores foram rapidamente produzir imagens desta bela jovem duquesa "Sissi". Eles se casaram em 24 de abril de 1854 na Igreja Santo Agostinho Viena. As festividades duraram mais de uma semana. 
Por ser o maior acontecimento social do século XIX, todas as famílias reais compareceram, com destaque para as famílias dos noivos, que compareceram em peso à cerimônia. 
No dia 24 de Abril de 1854, na Igreja de Santo Agostinho, em Viena, Sissi com dezesseis anos, desposou o seu primo Francisco José, então com quase vinte e quatro anos. Isabel teve dificuldades em se adaptar à estrita etiqueta da corte de Habsburgo. O casamento gerou quatro filhos.
■ Casamento de Francisco José I, Imperador da Áustria, e Isabel da Baviera.
https://pt.wikipedia.org/wiki/Casamento_de_Francisco_Jos%C3%A9_I,_Imperador_da_%C3%81ustria,_e_Isabel_da_Baviera
ESTRELA DE DIAMANTES 
Franz Xaver Winterhalter - Elisabeth of Bavaria, Empress of Austria (1865). 
O Joalheiro Jakob Heinrich Köchert fabricou exclusivamente para ela cerca de 27 peças da jóia: Estrela de Diamantes. 

Sissi tinha o costume de enfeitar seus longos cabelos, que chegavam aos pés, com estrelas de ouro branco cravejadas de diamantes (como mostra o retrato da Imperatriz de autoria do pintor alemão Franz Xaver Winterhalter, de 1865). Das cerca de dez estrelas, restaram apenas três. Sissi presenteou suas damas de companhia com jóias desse tipo. Desenhadas pela própria imperatriz, as estrelas foram copiadas por várias mulheres de outras cortes européias.

Em 1998 o mundo lembrou de uma das mulheres mais fascinantes da história. Cem anos atrás, em 10 de setembro de 1898, a Imperatriz Elisabeth da Áustria morreu de ferimentos infligidos durante uma tentativa de assassinato. Exposições em toda a Áustria irá comemorar a Imperatriz amada do país. Eles vão documentar a história de vida intrigante de uma mulher que era uma "Imperatriz contra a sua vontade", e ao mesmo tempo um conto de fadas da princesa e mulher liberada, uma fanática por dieta e eqüestre especialista, uma poetisa e viajante inveterada. A imperatriz, carinhosamente conhecida por milhões como "Sissi", era tão inteligente quanto extravagante, e estava décadas à frente de seu tempo.

URL 
Isabel da Baviera (Elisabeth - Sissi)
Elisabeth von Österreich-Ungarn (Sisi)
URL
Engraving depicting the Hungarian royal family at Gödöllő Palace (circa 1870)
Embora as imediações dos Palácios Imperiais Schonbrunn e o brilhante Viena Hofburg serem a sua casa, a consorte do imperador austríaco estabeleceu um relacionamento especial com todas as classes de seus súditos. Não admira então que, após a trágica morte da princesa Diana, ela ter sido muitas vezes comparada nos obituários a Sissi: Ambas eram mulheres de extraordinária beleza e representou seu país com dignidade e elegância. Ambas conseguiram conquistar um lugar especial no coração das pessoas, mesmo no meio da cerimônia e protocolo de dinastias antigas. Ambas foram dedicadas às causas sociais... E ambas morreram tragicamente antes do tempo.
Sissi foi assassinada por um anarquista em Genebra, numa tarde quente de Verão, no ano de 1898 ● Na década de 1950 o director Ernst Marischka realizou três filmes sobre Sissi: Sissi, Sissi Imperatriz e O Destino de Sissi (pt) / Sissi e seu Destino (br) (trilogia de Sissi), todos protagonizados por Romy Schneider, que contribuíram decisivamente para tornar a sua história conhecida, embora de uma forma não muito verdadeira. 
URL 01 - 02 - 03
- IV -
Na época da Independência, as Cortes Revolucionárias de Lisboa, enviaram ao então Príncipe Dom Pedro um ultimato de seu regresso a Portugal, no entanto os Brasileiros lutaram até o último instante pela permanência do Príncipe, que culminou no Dia do Fico. Em sua coroação a 1 de Dezembro de 1822, recebe o título de “Defensor Perpétuo”. Mas em sua aclamação recebeu o título “Unânime Acclamação dos Povos”.
D. Pedro Henrique
"(...) • Apenas a Restauração da Monarquia poderá garantir a democracia e a prosperidade no Brasil, pois o Imperador permanecerá acima das querelas partidárias e das paixões ideológicas, guiando todos os brasileiros na construção de um País que liderará o Concerto das Nações e brilhará em meio à Cristandade. (...)"

• Cada vez mais acredito que o resultado de um novo Plebiscito nesta atual desconjuntura será pior ao da Grande Fraude do Plebiscito de 1993. Se é ruim com a ajuda das Forças Armadas... Pior sem elas. Afinal foi o Exército (hoje dito do Monarquista Caxias do Exército Imperial Brasileiro) o executor do Golpe de 1889 ― Lembro que o emburrecimento induzido da população brasileira a partir dos bancos das escolas nos últimos 35 anos, foi devastador...
Causa imperial

NO CAPÍTULO – III – LEIA O MANIFESTO DE 1948 
PUBLICADO PELA PRÓ MONARQUIA, escrito por S.A.I.R. o Príncipe Dom Pedro Henrique de Orleans e Bragança, Chefe da Casa Imperial do Brasil de 1921 a 1981, e intitulado “Mensagem aos meus Amigos”. 
Dom Pedro Henrique Afonso Filipe Maria Gastão Miguel Gabriel Rafael Gonzaga de Orléans e Bragança e Bourbon (Boulogne-Billancourt, 13 de setembro de 1909 – Vassouras, 5 de julho de 1981), Príncipe de Orléans e Bragança de 1909 a 1921, Príncipe do Grão-Pará de 1909 a 1920, Príncipe Imperial do Brasil de 1920 a 1921 (após a morte do pai) e chefe da Casa Imperial do Brasil de 1921 em diante (após a morte da avó), então com 12 anos de idade, com apoio dos monarquistas e de seu tio, D. Pedro de Alcântara de Orléans e Bragança. D. Pedro Henrique era neto de D. Isabel de Bragança, a última Princesa Imperial do Brasil, e do Príncipe imperial Consorte, D. Gastão de Orléans, Conde d'Eu, e bisneto do Imperador Dom Pedro II do Brasil e de D. Teresa Cristina de Bourbon-Duas Sicílias, Imperatriz do Brasil.
Se fosse Imperador, teria reinado com o título de Sua Majestade Imperial, Dom Pedro III, Por Graça de Deus, e Unânime Aclamação dos Povos, Imperador Constitucional e Defensor Perpétuo do Brasil.
31 de março de 1964
• Pouco antes da Intervenção Militar de 1964, um grupo de militares de alto escalão – supostamente, a mando do Marechal e futuro Presidente Castelo Branco (1897-1967) – foi até a Fazenda Santa Maria, no interior do Paraná, onde vivia, com sua esposa e doze filhos, o Príncipe Dom Pedro Henrique (1909-1981), na época, Chefe da Casa Imperial do Brasil, para oferecer ao Príncipe a oportunidade de se tornar Imperador, por meio de um Golpe de Estado.

• O exemplo do Príncipe foi e é seguido por todos os membros da Família Imperial, assim também como por todos chefes da Casa Imperial do Brasil, de D. Isabel (1891-1921) à D. Luiz Gastão (1981-hoje).

• Em manifesto escrito em 1913, o Príncipe D. Luiz Maria (1878-1920), herdeiro da Princesa Isabel (1846-1921), disse: "Nunca, nem meu venerado avô [Dom Pedro II], nem minha mãe [Dona Isabel], pensamos em deter a coroa contra a vontade da Nação, sempre lhes repugnou a ideia sequer da guerra civil, por mais nobre e desinteressantes que fossem os seus motivos."

• D. Luiz Gastão, atual Chefe da Casa Imperial desde 1981, repete o exemplo: "Uma verdadeira Monarquia não pode ser implantada pelo golpe de força de um grupo, mas deve vir organicamente, da aspiração de conjunto da Nação [...] Quando esse anseio se tornar majoritário, a Monarquia, acabada expressão política da Civilização Cristã, poderá ser restabelecida no Brasil, de modo estável e benfazejo. Quando isso se dará, só Deus Nosso Senhor o sabe, mas, creio, bem antes do que poderia parecer à primeira vista".

 “A MONARQUIA SÓ VOLTA PELA VONTADE POPULAR”
 Como todos sabem, às vésperas do Contragolpe de 1964, um grupo de militares de alto escalão se dirigiu ao Príncipe Dom Pedro Henrique (1909-1981), então Chefe da Casa Imperial do Brasil, para lhe oferecer a Restauração da Monarquia, por meio de um golpe de Estado. Sem hesitar, e demonstrando tremenda grandeza moral e espírito democrático, Sua Alteza Imperial e Real respondeu: “Não utilizarei de artimanhas republicanas para retornar ao poder. A Monarquia só volta pela vontade popular, pois, só assim, será legítima.”
URL
■ Maria Elisabeth Franziska Theresia Josepha von Wittelsbach und Croy-Solre
http://dbpedia.org/page/Princess_Maria_Elisabeth_of_Bavaria

■ Maria Isabel da Baviera
https://pt.wikipedia.org/wiki/Maria_Isabel_da_Baviera

Luftaufnahme Schloss Nymphenburg, München
Casamento

Casou em Leutstetten 17 de agosto e religiosamente na capela do Castelo de Nymphenburg em Munique, em 19 de agosto de 1937 com Maria Isabel de Wittelsbach, batizada Marie Elisabeth Françoise Josèphe Thérèse de Wittelsbach (ali nascida em Nymphenburg em 9 de setembro de 1914), Princesa da Baviera, filha primogênita de Francisco de Wittelsbach, Príncipe Real da Baviera e de Isabel de Croÿ, Princesa de Croÿ. Tiveram 12 filhos. Esse casamento serviu de pretexto ao duque da Baviera para confrontar o Governo Nazista, pois estavam convidados dois soberanos e vários Chefes de Casas Reais, entre eles a Grã-Duquesa Carlota de Luxemburgo e o Rei espanhol Alfonso XIII, exilado devido à Guerra Civil Espanhola; os altos comandantes do Partido Nazista não foram convidados.
D. Pedro Henrique e  Dona Maria Elizabeth da Baviera

O casal residiu primeiramente na França; durante várias vezes tentaram morar no Brasil, mas foram impedidos devido às dificuldades de locomoção geradas pela Segunda Guerra Mundial. 


■ Princess Maria Elisabeth of Bavaria/Princess Maria Elisabeth of Orléans-Braganza

(...) D. Luiz filho de Princesa Isabel, que foi herói de guerra, chamado pelo Rei dos belgas de o Príncipe Perfeito. O Rei Leopoldo dos belgas disse: "era um homem como poucos e Príncipe como nenhum". E deu a ele o título de Príncipe Perfeito. Este filho da Princesa Isabel teve um filho, D. Pedro Henrique, que se casou com Dona Maria Elizabeth da Baviera, Princesa alemã do Reino da Baviera, da Casa Real de Wittelsbach, a mesma da famosa Imperatriz Sissi da Áustria (...)
■ Casa Real de Wittelsbach
https://de.wikipedia.org/wiki/Wittelsbach

URL
Dom Pedro Henrique de Orleans e Bragança, então Chefe da Casa Imperial do Brasil, sua esposa a Princesa Dona Maria Elisabeth da Baviera, com seus filhos: os Príncipes Dom Eudes, Dom Luiz (ao centro) e Dom Bertrand no colo da mãe. 
"O objetivo da Monarquia é criar na Nação o clima de uma grande família, estimulando as qualidades do povo e inibindo suas más tendências. Há uma grande diferença entre a moralidade pública dos tempos do Império e as dos dias atuais."
 (S.A.I.R. o Príncipe Imperial do Brasil, Dom Bertrand de Orleans e Bragança).
Segue na Matéria: 
■ Unanime Aclamação dos Povos
http://emanuelnunessilva.blogspot.com.br/2014/11/unanime-aclamacao-dos-povos.html


- V -
URL
01 • A MUDANÇA